Mobilização

Hospitais da Rede Ebserh alertam sobre os perigos do diabetes

qui, 27/06/2019 - 17:15

No Pará, serão oferecidos mais de 1mil exames rápidos; no Paraná, foi realizado evento de conscientização

O Dia Nacional do Diabetes é comemorado em 26 de junho e o Dia Internacional do Diabético é lembrado em 27 de junho

Brasília (DF) – No mês de junho, dois dias são reservados para alertar a população sobre as formas de prevenção à doença: 26 é o Dia Nacional do Diabetes e 27 é o Dia Internacional do Diabético. As datas servem de alerta para que todos busquem a adoção de hábitos que evitem o aparecimento da doença, assim como busquem tratamento, caso já possuam. De acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde, o número de brasileiros com diabetes aumentou 61% nos últimos 10 anos, totalizando 13 milhões.

Caracterizada pelo excesso de glicose no sangue, causado pela deficiência do hormônio insulina, divide-se em dois tipos. O tipo 1, que acomete de 5 a 10% das pessoas com diabetes, e o tipo 2, que aparece em mais de 90% dos casos, quando são necessários medicamentos ou a suplementação de insulina para controle da doença. Em ambos os casos, atividades físicas e alimentação ajudam a controlar o avanço do problema que, dependendo do quadro, pode ser fatal.

O diabetes pode trazer complicações agudas, ou seja, imediatas, que aparecem repentinamente e podem ser resolvidas na hora. Uma delas é a hipoglicemia, quando o indivíduo ou não se alimenta, ou não absorve o que comeu por algum motivo ou aplica insulina demais. Isso o leva a ter tontura, mal-estar, desmaiar ou ter convulsões. A solução é ingerir açúcar, e em alguns minutos os sintomas desaparecem. Outra complicação aguda é a cetoacidose, em que a dose de insulina aplicada é menor do que deveria ser, elevando a glicemia, o que pode levar o indivíduo até ao coma.

Já as complicações crônicas aparecem com o tempo, gradualmente, e devem ser diagnosticadas o quanto antes para que haja intervenção medicamentosa. Elas podem ser microvasculares, que acometem principalmente o funcionamento dos rins, da retina e a circulação nas extremidades; macrovasculares, como infarto e derrame; e neurológicas, que causam a perda da sensibilidade e redução da mobilidade das articulações.

Atividades

Durante todo o ano, hospitais da Rede Hospitalar Ebserh oferecem serviços de diagnóstico e tratamento da doença. Mas por conta da data, ações pontuais estão sendo promovidas durante o mês.

O Complexo Hospital de Clínicas em Curitiba (CHC-UFPR/Ebserh), por exemplo, realizou dois eventos alusivos ao tema. O 10º Encontro Crescer com Diabetes Tipo 1 teve duas edições, a primeira voltada para crianças e seus familiares, e outra para profissionais de diversas áreas. O evento teve como objetivo oferecer o conhecimento necessário aos participantes sobre a doença: alimentação adequada, como tratar a doença, como atender a criança no dia a dia, quais os deveres e direitos dessas crianças e das escolas que as atendem, além de um workshop sobre como realizar o monitoramento de glicemia pela ponta do dedo e aplicar a insulina da forma correta.

“Apesar de o diabetes tipo 2 ser o mais comum na população em geral, fizemos esse evento voltado para o diabetes tipo 1 porque a nossa unidade é pediátrica, e 90% dos casos de diabetes em crianças”, explicou Gabriela Kraemer, que foi responsável pela organização do encontro, realizado anualmente.

Outro exemplo é em Belém (PA), onde o Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB-UFPA/Ebserh) realizará uma campanha de atenção ao paciente diabético, com detecção do diabetes tipo 2 em crianças e adolescentes com obesidade e triagem de pacientes adultos diabéticos e com colesterol e triglicerídeos elevados. A ação ocorrerá neste sábado, 29, no Shopping Pátio Belém, de 10h às 16h. Os participantes selecionados na triagem serão encaminhados ao Centro de Pesquisa Clínica em Diabetes do HUJBB. A expectativa da coordenação do evento é atender cerca de 1 mil pessoas.

“A intenção é chamar pacientes diabéticos para participar do programa de pesquisa clínica, que envolve o atendimento aos diabéticos, tratamento e orientações sobre a doença, dependendo do perfil de cada paciente”, afirma a biomédica Ana Regina Mota, coordenadora de estudos do Programa de Atenção ao Paciente Diabético da Comunidade Amazônica. Criado há mais de 20 anos, o programa atende 70 pacientes por dia e conta com uma equipe multidisciplinar que envolve médicos endocrinologistas, biomédicos, enfermeiros e psicólogos.

Sobre a Rede Hospitalar Ebserh

Desde outubro de 2015, o Complexo Hospitalar da UFPA faz parte da Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Hospitalar Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Fonte
Com informações do HUJBB-UFPA
HUJBB - UFPA
diabete
diabetes
Ação
exames
prevenção
hujbb-ufpa
Release